Arquivo da tag: mendoza

Espaço do Confrade: Conhecendo Mendoza com Douglas Yoshimura

Todas as terças, convidamos um Confrade Grand Cru para compartilhar conosco uma experiência inesquecível do mundo do vinho. Hoje, o espaço é do Douglas Yoshimura, que está completando um ano como assinante da Confraria.

Continuar lendo

Turismo de vinho em Mendoza: um dia na vinícola Pulenta Estate, por Stella Aranha

A Argentina é hoje o 5º maior produtor de vinho do mundo e o 7º maior país consumidor da bebida (dados do Wine of Argentina). É nos arredores da cidade de Mendoza, ao pé da cordilheira dos Andes, que se concentra o maior número de vinícolas do país, respondendo por cerca de 60% da produção de todo o vinho argentino.

Continuar lendo

Top 5 vinícolas para visitar em Mendoza

Mendoza, capital do vinho argentina, é um dos principais centros de enoturismo do Novo Mundo. Além de ser próximo de nós, brasileiros, é extremamente acessível (e sedia algumas das vinícolas mais bonitas do mundo!). Mas com mais de 1.200 bodegas… Como começar a montar um roteiro de viagem?! Descubra as nossas 5 vinícolas favoritas para se visitar em Mendoza. Aperte os cintos e aproveite a viagem!

Escorihuela Gascón

10491187_660415507376281_5406858319865919380_n

O antigo casarão de pedra que dá sede à vinícola Escorihuela Gascón é o destino ideal para quem quer viajar no tempo. Estamos falando da vinícola mais antiga da cidade de Mendoza (e de uma das mais tradicionais também!), fundada em 1884. A visita guiada tem duração de pouco mais de uma hora e passa por todas as etapas de produção dos vinhos – incluindo o tonel de 63 mil litros talhado em carvalho de Nancy, encomendado por Miguel Escorihuela Gascón em 1910 em comemoração ao centenário da Revolução de Maio. Ao final, o visitante pode escolher uma taça de vinho de sua preferência para degustar. Nas instalações da vinícola, está o renomado restaurante 1884, de Francis Mallman, considerado o melhor de Mendoza e um dos melhores da Argentina. Não estranhe se encontrar referências de polo – o esporte que se joga à cavalo golpeando uma pequena bola é uma marca registrada da vinícola que, inclusive, conta com espaço destinado à sua prática.

Visitas guiadas de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h (com reserva prévia)
Finca Agrelo, Calle Cobos s/n, Agrelo, Luján de Cuyo, Mendoza
+ 54 0261 4 242282 int 506
turismo@escorihuela.com.ar
www.escorihuelagascon.com.ar

Viña Cobos

vina-cobos-mendoza-argentina

Um dos destinos mais procurados por turistas de todo o mundo é a Viña Cobos, com arquitetura contemporânea de tirar o fôlego e vista privilegiada do vulcão Tupungato, um dos picos mais altos da Cordilheira dos Andes. O edifício, nas palavras dos fundadores da vinícola, é a “manifestação de um pensamento prático e racional, onde se priorizam as formas simples, proporções lineares e espaços claros e bem ventilados”. Dentro do prédio, é possível encontrar uma pequena bodega de estilo antigo e tradicional. Ao final do tour, os visitantes podem escolher uma das cinco degustações temáticas, cuidadosamente guiadas por um dos seus enólogos (nossa sugestão é participar da Colección de Terroir, na qual se degustam Malbecs dos quatro “crus” de Mendoza produzidos por Paul Hobbs, um dos maiores enólogos do mundo).

Visitas guiadas de segunda a sexta-feira às 9h30, 11h, 12h30 e 15h e sábados às 9h30, 11h e 12h30 (com reserva prévia)
Costa Flores s/n y Ruta 7, Perdriel, 5509, Luján de Cuyo, Mendoza
+ 54 9 261 6756689
hospitality@vinacobos.com
www.vinacobos.com

Dante Robino

16

Fundada em 1920, a Bodega Dante Robino está situada em Perdriel, no departamento de Luján de Cuyo. Aos pés das Cordilheira dos Andes, integra a rota “Os caminhos do vinho” e recebe milhares de turistas todo ano. Aqui, dificilmente se vê a Mendoza tradicional – apesar de ter sido fundada há quase 100 anos, a vinícola tem arquitetura moderna e funcional (com o que há de mais atual em termos de estrutura enológica dentro da adega!). O preço das degustações varia de $90 a $345 acordo com os vinhos escolhidos. Não perca a oportunidade de provar seus espumantes (trata-se da vinícola de maior renome em toda a Argentina na produção de vinhos com borbulha!).

Visitas guiadas de segunda-feira a sábado às 10h, 12h, 14h e 16h (com reserva prévia)
Quintana 375 (M5509), Perdriel, Luján de Cuyo, Mendoza
+ 54 261 4887229 int 2050
turismo@bodegadanterobino.com
www.bodegadanterobino.com

Pulenta Estate

Untitled_Panorama1baja

Com certificado de Excelência no site de turismo Trip Advisor e primeiro lugar na categoria “Coisas para faze em Agrelo”, a Pulenta Estate é recordista de elogios por seus visitantes. A construção é pequena e tem arquitetura minimalista. O tour guiado inclui, além de visita pela bodega, passeio pelos vinhedos que cercam a propriedade e termina na sala de degustações. Um adendo: os irmãos Pulenta, proprietários da vinícola, colecionam Porsches, portanto se é fã de vinhos e carros, a visita é certamente indispensável.

Visitas guiadas de segunda a sexta-feira das 9h às 17h e sábado e feriados das 9h às 13h (com reserva prévia)
Estrada Provincial 86. Km 6,5, Alto Agrelo, Luján de Cuyo. Mendoza
+54 9 261  5076426
reservas@pulentaestate.com
www.pulentaestate.com

RJ Viñedos (Joffré e Hijas)

rj-vinedos-mendoza-argentina-turismo-enoturismo

Se prefere vinícolas menores e distantes dos holofotes, opte pela RJ Viñedos. Sediada em Luján de Cuyo, quem conduz o tour pela bodega e depois pelos vinhedos é o próprio fundador da vinícola, Raul Joffré. Após a visita, é possível aproveitar as áreas externas do edifício para fazer um pique-nique.

Visitas guiadas todos os dias das 9h às 17h (com reserva prévia)
+ 54 9 261 4880904 / + 54 261 5247870 int 107 ou 100
Terrada, 2400, Perdriel, Luján de Cuyo, Mendoza
turismo@rjvinedos.com
www.rjvinedos.com


Por Gustavo Jazra

Saiba o que é o conceito de terroir com Diego Pulenta

O conceito de terroir parece mais complexo do que, de fato, é. Diego Pulenta, representando da quarta geração da família Pulenta, ajuda a entender, e ainda explica como a vinicola Pulenta Estate enxerga o assunto.

1) O que é terroir?

Os principais componentes do terroir são solos e topografia local, que em interação com o macro-clima determinam o meso-clima e, em última instância, o micro-clima de cada planta. A combinação dos fatores indicados dá como resultado uma característica própria e única que define o terroir, a que se refere com relativa constância nos vinhos de cada ano, dependendo também, mesmo que em menor grau, da arquitetura da cepa e do método utilizado para elaborar o vinho. O resultado de cada terroir é único e irreproduzível.

Os parâmetros fundamentais que devem ser considerados são: Clima: com medições de temperatura, regime pluvial, amplitude térmica, períodos livres de geada, etc. Radiação solar: intensidade e qualidade. Topografia: altitude, inclinação e exposição. Edafologia: determinação da textura (argilosa, arenosa, limosa, etc), estrutura, determinações químicas e físicas do solo (retenção de água, infiltração, matéria orgânica, etc), profundidade do solo, origens, lençóis freáticos. Hidrologia: regime de irrigação. Em termos gerais, os fatores são naturais e não cabem a eles a intervenção significativa do homem, exceto às que se referem ao microclima, podendo, por exemplo, favorecer uma maior exposição das folhas e ramos por meio de sistemas de condução de copa divididas ou regulando o regime hídrico através da irrigação, etc. Em entrevista concedida à equipe Grand Cru, Diego Pulenta, fala da importância desse fator chave para sua vinícola.

2) Para você, qual é a importância dessas características no vinho?

É muito importante a relação entre a planta e o micro-clima, algo que se vê diretamente refletido no vinho. As características de um vinho definem todos os aspectos já mencionados. Por isso, a importância dessa relação.

3) Por que mesclar frutas de diferentes regiões, como no Pulenta Estate Malbec 2011? Qual é o resultado esperado à taça?

Quando nasceu a bodega Pulenta, quisemos mostrar a nossos consumidores o melhor do Malbec argentino. E acreditamos que isso se dá mesclando as características de Malbec de distintas zonas. No caso do Pulenta Estate Malbec, utilizamos uvas de Agrelo, que nos aportam características únicas de frutas vermelhas como cerejas e notas florais, tais como violetas. Além disso, nossa intenção era dar um tanino muito elegante e redondo. Combinado com uvas de Los Arboles, no Vale do Uco, que por ser uma zona mais elevada, mais fria e mais pedregosa, nos dá maior concentração de cor, mais estrutura, com taninos mais presentes e maior acidez. Além das notas minerais, assim como de frutas negras. Além disso, a Pulenta está apresentando uma nova série de vinhos Pulenta Single Vineyard, onde se elaboram Malbec com as uvas de um só vinhedo. Aí podemos notar essa diferença.

4) Você acredita que o homem deve fazer parte do conceito de terroir?

Acredito que, como disse, a influência do homem no micro-clima é muito importante para o desenho do vinho que queremos alcançar. As características que nos aportam os solos e a topografia influenciam em um percentual muito alto no vinho final, e há certas variáveis que o enólogo pode manejar para o desenho do vinho final. Por exemplo, na Argentina, a acidez natural é difícil de alcançar, salvo quando fazemos a colheita muito cedo. Isso é uma característica do nosso terroir. Como na França é permitida a chaptalização, quando não se chega a níveis de açúcar de maturidade. Mas o enólogo, no caso da Argentina, pode decidir fazer uma colheita antecipada com álcool baixo para obter essa acidez natural. Isso é o que fazemos para o nosso Sauvignon Blanc, colhido em três etapas. Ou conduzindo a irrigação para influir no crescimento dos ramos.

Agora que você conhece o terroir no qual Diego Pulenta trabalha, que tal experimentar um vinho que expressa o potencial da Bodega Pulenta Estate? O vinho tinto Pulenta Estate IX Pinot Noir é suculento e elegante, perfeito para harmonizar com linguiças e carnes defumadas.

Vinho tinto Pulenta Estate IX Pinot Noir 2012 750 mL

Vinho tinto Pulenta Estate IX Pinot Noir 2012 750 mL