Arquivo da tag: vinhos pontuados

O mundo de Wine Spectator e seus mais de 200 mil vinhos avaliados

Conheça a história e os métodos de avaliação da Wine Spectator, uma escala de pontuações de vinhos com muita credibilidade que já está há mais de 40 anos no mercado.

A revista Wine Spectator (WS) é uma publicação mensal que, além de suas edições normais, ainda conta com cerca de três especiais ao longo do ano. Especializada em notas de degustação e no mercado do vinho, assim como tudo que o envolve, como vinícolas e até as personalidades do ramo. Os editores da revista avaliam mais de 15 mil vinhos por ano em degustações às cegas e cada edição traz entre 400 e 1.000 avaliações.

Todos os anos, em novembro, são anunciados os Top 100 Vinhos e os Vinhos do Ano pela WS, publicados na edição mais aguardada pelos cerca de três milhões de leitores da revista.

O site da publicação, o WineSpectator.com, foi lançado em 1996 e hoje hospeda mais de 250 mil notas de degustação e avaliações de rótulos. Este fato torna o site da WS uma das fontes mais completas de informação sobre vinho no mundo digital.

Desde 1976, data da publicação da primeira edição da revista, os críticos da Wine Spectator acumularam experiência. Para se ter uma ideia, se as experiências com vitivinicultura individual de cada um dos oito editores seniores da revista fossem somadas, o resultado seria mais de 125 anos de aprendizado e degustações.

Conheça os editores seniores mais importantes da Wine Spectator

James Laube é um dos editores seniores da WS. Ele escreve para a empresa desde 1980 e é especialista em vinhos californianos. Ganhou o prêmio de melhor livro sobre vinho do ano de 1999 com a sua obra Californian Wine.

O editor chefe da revista, Kim Marcus, degusta vinhos da Áustria, Grécia, Portugal e do sul da França desde 1990. Ele entrou na equipe de São Francisco três anos antes, mas só em 1990 foi transferido para a matriz da empresa em Nova Iorque.

Já o editor executivo, Thomas Matthews, começou a escrever para a Wine Spectator como freelancer, enquanto ainda morava em Bordeaux. Rapidamente foi contratado como jornalista e degustador em tempo integral, e transferido para o escritório de Londres para, em seguida, chegar a Nova Iorque.

Como funciona o método de avaliação da Wine Spectator

A WS realizou alguns estudos que comprovaram que o julgamento de um vinho pode ser muito influenciado por variáveis como preço, marca e origem. Por isso, a Wine Spectator faz suas degustações sempre às cegas, de forma que nenhum crítico seja “contaminado” pela aparência do rótulo ou procedência da garrafa. Todas as anotações produzidas durante que não foram feitas às cegas são especificadas nas notas de degustação.

Além disso, a empresa faz questão de ter independência financeira. Isso significa que nenhum membro da equipe da Wine Spectator tem permissão para ganhar presentes e bonificações relacionadas ao mundo do vinho. Os membros são obrigados a aceitar um termo de compromisso e ética que garante que as avaliações serão feitas seguindo princípios verdadeiros, o que contribui para evitar opiniões tendenciosas.

Entenda como funciona a escala de pontuação da Wine Spectator

Na escala Wine Spectator um vinho pode receber notas de 50 até 100 pontos. Vinhos avaliados em mais de 90 pontos são de qualidade acima da média, enquanto 100 pontos significam que o vinho é único, perfeito e sem falhas.

Também é possível que os vinhos sejam avaliados como ordinários ou ruins, com menos de 79 pontos. Confira abaixo exatamente o que as pontuações significam:

  • 95 – 100 pontos: um vinho incrível, sem falhas e prazeroso.
  • 90 – 94 pontos: vinho excelente, com qualidade superior ao esperado.
  • 85 – 89 pontos: bom, possui qualidades muito interessantes e o vinho tem potencial.
  • 80 – 84 pontos: vinho bem feito.
  • 75 – 79 pontos: satisfatório, com falhas pequenas.
  • 50 – 74 pontos: não recomendado.

Indicações de rótulos de vinho que ganharam 90 pontos pela Wine Spectator

A Grand Cru possui em seu portfólio apenas vinhos que ganharam, no mínimo, 90 pontos pela equipe da Wine Spectator. Abaixo vamos indicar dois rótulos muito bem avaliados pela equipe da publicação: o chileno Matetic EQ Syrah 2011 e o italiano Mazzei Ser Lapo Chianti Classico 2011.

Vinho Tinto Matetic EQ Syrah 2011

Um grande Syrah chileno que encarna todo o potencial da casta, esse premiadíssimo vinho  recebeu 90 pontos pela Wine Spectator, 92 pelo Robert Parker e 93 pontos pelo Guia Descorchados, especializado na América do Sul.

Para a publicação, esse rótulo é “poderoso, com um aroma defumado e sabores concentrados de ameixa tostada, mocha e cereja azeda com toques de romã. Nota-se um toque mineral e de ardósia, com uma finalização apimentada. para beber até 2018”.

vinho-tinto-matetic-eq-syrah-2011-750-ml

Vinho Tinto Matetic EQ Syrah 2011 750 mL

Vinho Tinto Mazzei Ser Lapo Chianti Classico DOCG Riserva 2011

O Mazzei Ser Lapo Chianti Classico é um Supertoscano feito com a uva italiana Sangiovese e outras variedades. Ganhou 90 pontos da Wine Spectator e 90 da Wine Enthusiast. Harmoniza muito bem com molhos ricos e picantes e carnes vermelhas grelhadas.

Segundo a Wine Spctator: “um tinto exótico, que oferece aromas de violetas, groselha negra e fruta silvestre e sabores equilibrados para uma estrutura rica e densa. Permanece fresco e tem final persistente. Seu auge é entre 2016 e 2022. Foram produzidas apenas 8.333 caixas”.

Vinho Tinto Mazzei Ser Lapo Chianti Classico DOCG Riserva 2011 750 mL

Vinho Tinto Mazzei Ser Lapo Chianti Classico DOCG Riserva 2011 750 mL

Conheça Robert Parker, o crítico de vinhos mais famoso do mundo

Sem nenhum treinamento formal como sommelier, Robert Parker – editor da revista The Wine Advocate e criador da escala Robert Parker de pontuação – é o crítico de vinhos mais famoso do mundo.

Tudo começou quando, em 1967, Parker foi visitar sua noiva que estudava na Universidade de Strasbourg, na Alsácia. Aos 20 anos de idade, Parker descobriu que vinho era a bebida mais barata da região (mais até do que café) e foi quando provou uma garrafa pela primeira vez.

Wine Advocate, a revista de Robert Parker

Formado em direito, história e história da arte, Parker trabalhou como advogado e também foi consultor do Banco de Baltimore. A ideia de iniciar uma revista com as anotações que fazia durante as degustações surgiu a partir do momento que a esposa de Robert Parker ameaçou divorciar-se caso o marido gastasse mais dinheiro com vinho. Parker resolveu, então, começar a trabalhar efetivamente com o que era até então, apenas um hobby.

A primeira edição, lançada em 1978, é uma reunião das anotações de Parker e de outros profissionais de vinho (como Jeb Dunner e Monica Larner) sobre suas degustações. Cada crítico da The Wine Advocate é responsável por avaliar regiões específicas. Parker, por exemplo, degusta apenas vinhos de Bordeaux, Rhône e da Califórnia. Cada edição contém um ou dois editoriais e cerca de cinquenta e seis páginas de comentários dos últimos vinhos provados pela equipe.

A revista hoje é uma das mais importantes publicações do setor e tem mais de quarenta mil inscritos em seu site.

assinatura-robert-parker

O ambiente em que Robert Parker degusta vinhos

É comum pensarmos que um crítico do porte de Robert Parker faz degustações públicas, portando-se como um juiz esportivo em uma competição. Mas não é bem assim que seu trabalho funciona. Parker tem um escritório pouco convencional, cheio de papéis cobrindo seu computador e com um aparelho de som potente. A sala é cheia de CDs do Bob Dylan e Neil Young, tudo entre muitas garrafas e pilhas de taças de vinho limpas (e sujas), com uma pia que o permita despejar os vinhos sem fazer sujeira.

E a degustação?  A rotina começa de manhã com vinhos tintos mais encorpados. Durante a tarde, Parker degusta vinhos brancos e, quando já anoiteceu, experimenta espumantes.

A escala de pontuações Robert Parker

Parker percebeu que nos Estados Unidos, seu país de origem, não havia nenhuma escala de pontuações de vinhos que o satisfizesse. Por isso, criou seu próprio método de pontuação, que vai de 50 a 100 pontos. Um vinho muito ruim recebe até 74 pontos (a nota mais baixa dada até hoje foi 56 pontos para um Cabernet Sauvignon). De 74 a 89 pontos o vinho é considerado bom, e mais de 90 pontos classifica uma garrafa como excelente. A pontuação máxima, de 100 pontos, foi dada para apenas 76 vinhos.

Para se ter uma ideia da raridade dessas garrafas, Parker emprestou seu nome a uma seleção de vinhos de Bordeaux avaliados por sua escala em 100 pontos. Cada caixa contém uma seleção diferente de cinco vinhos das 18 vinícolas premiadas.

Hoje o crítico degusta aproximadamente dez mil vinhos por ano e, durante toda a sua vida, já experimentou mais de 200 mil rótulos e safras.

Críticas sobre Robert Parker

Embora tenha uma reputação consolidada no mundo dos vinhos, Robert Parker e a The Wine Advocate também são alvo de críticas construtivas. Uma delas é que Parker acaba por contribuir para a promoção de um único estilo de vinho, sendo os seus rótulos preferidos muito parecidos entre si: frutados e com bastante madeira. Os críticos também dizem que as vinícolas acabam por tentar produzir vinhos que sejam do gosto de Robert, uma vez que os vinhos que alcançam 95 pontos ou mais na classificação RP costumam ser vendidos muito rapidamente, limitando a criatividade dos enólogos.

Já experimentou um vinho 100 pontos RP?

Aqui na Grand Cru você encontra vinhos que ganharam 100 pontos na escala Robert Parker. Abaixo deixamos duas sugestões, um norte-americano e um francês.

Vinho Tinto Dominus Estate Napa Valley 2010

Este vinho brilhante chegou ao patamar máximo de avaliação de Robert Parker, com 100 pontos. “Vinhos desse calibre valem um esforço especial para encontrar, comprar e consumir”, garante o avaliador mais conhecido do mundo.

Grand Cru

Vinho Tinto Dominus Estate Napa Valley 2010                       100 pontos na escala Robert Parker

Vinho Tinto Chateau Bellevue-Mondotte 750 mL

Um vinho que beira a perfeição atingindo incríveis 100 pontos na avaliação Robert Parker e 97 pontos na avaliação da revista Wine & Spirits. Encorpado, concentrado e rico em aromas, o Bellevue-Mondotte é uma obra de arte em forma de garrafa!

Grand Cru

Vinho Tinto Château Bellevue-Mondotte 2005

Quer conhecer mais sobre outros tipos de pontuações? Clique aqui e entenda como funciona a Wine Spectator, Wine Enthusiast e Guia Descorchados!

Entenda como funcionam os principais guias de pontuação do mundo – de Robert Parker a Wine Spectator!

Pontos. Eis um assunto que dá muito o que falar no mundo do vinho. Afinal, qual o objetivo de pontuar vinhos e como funcionam as diferentes pontuações?

Com o crescimento do consumo global de vinhos, milhares de rótulos são criados e comercializados anualmente por todo o mundo. As gôndolas dos mercados, empórios e lojas especializadas estão abarrotadas de vinhos de todos os preços, estilos e regiões, tornando a “escolha” (decisão de compra) um processo cansativo e, na maioria das vezes, frustrante.

O que são os sistemas de pontuação de vinhos

Os sistemas de pontuação de vinhos foram criados com várias finalidades. A ideia inicial era não apenas catalogar, mas padronizar a classificação de vinhos.

Para os consumidores mais especializados em degustação de vinho, os sistemas de pontuação servem como um guia de rótulos que devem ser provados para se manterem atualizados no assunto. Enquanto isso, os iniciantes no mundo do vinho utilizam as pontuações para auxílio na hora de escolher um rótulo, tentando minimizar a chance de comprar uma garrafa e se arrepender.

Conheça os diferentes sistemas de pontuação de vinhos

Cada guia tem seu método de avaliação, atribuindo números, estrelas ou taças para cada rótulo avaliado. Confira abaixo os guias mais conceituados e a forma de avaliação de cada um.

O renomado Robert Parker’s Wine Advocate

O ex-advogado abandonou a carreira no direito quando descobriu que possuía um olfato e um paladar excepcionais para vinhos. Mais do que isso, Robert é capaz de se lembrar de cada vinho que já provou, o que faz dele uma das pessoas mais qualificadas para avalia-los.

Parker é o fundador da Robert Parker’s Wine Advocate, revista criada por ele e por um grupo de sommeliers que degustam vinhos e os classificam em uma nota entre 50 e 100 pontos. Confira no infográfico produzido pela Grand Cru o significado de cada nota.

Quer saber o que é um vinho excelente para Robert Parker? O Tarima Orgânico recebeu 90 pontos na escala RP, um vinho 100% orgânico.

Vinho Tinto Tarima Orgânico

Vinho Tinto Tarima Orgânico

O guia Wine Spectator

A revista existe desde 1996 e contém mais de 250 mil resenhas enólogas. O site da Wine Spectator disponibiliza para os assinantes vídeos de degustações, uma rede de contato direto com seus editores para tirar dúvidas e pedir sugestões, e cursos online tanto para iniciantes no mundo do vinho quanto para enólogos mais experientes.

O sistema de pontuação da Wine Spectator é entre 50 e 100 pontos.

Produzido próximo ao extinto vulcão de Roccamonfina, Falerno Del Mossico Rosso ganhou 90 pontos na Wine Spectator. Com os aromas de violetas, fósforo, charuto, geleia de frutas e ervas frescas, você precisa experimentar este tinto!

Vinho Tinto Falerno Del Massico Rosso

Vinho Tinto Falerno Del Massico Rosso

Como surgiu a Wine Enthusiast

O casal americano Adam e Sybil Strum procurava por vinhos e acessórios quando descobriram que muitos dos produtos não eram acessíveis ao público comum. Pensando em como reverter esse quadro, os Strums decidiram catalogar cada um dos vinhos que experimentavam e, após reunir uma grande quantidade deles, lançaram um catálogo próprio, que foi um verdadeiro sucesso de vendas.

Após a empreitada, eles criaram a Wine Enthusiast, uma empresa que tem a missão de oferecer produtos interessantes e falar de vinho de forma séria, porém acessível para quem está provando suas primeiras taças.

Hoje, WE é um portal que vende vinhos, taças e acessórios relacionados, além de publicar resenhas com anotações de degustação de enólogos renomados.

Com 91 pontos WE, o vinho branco Terras Gauda “O Rosal” Rias Baixas traz aromas de damascos, hortelã, alecrim e mel.

Vinho Branco Terras Gauda "O Rosal" Rias Baixas

Vinho Branco Terras Gauda “O Rosal” Rias Baixas

Como funciona o Guia Descorchados

Uma equipe de enólogos chilenos produz o Guia Descorchados, um livro anual com avaliações de vinhos chilenos, argentinos e uruguaios.

A proposta do guia é analisar vinhos contemporâneos do Novo Mundo, com o objetivo de entregar ao consumidor um panorama dos rótulos sul americanos, desde os mais caros, até os mais baratos.

Leyda, uma vinícola chilena superpremiada, recebeu 90 pontos GD no tinto Leyda Pinot Noir Reserva. Este rótulo apresenta sabores especiais de morangos maduros e chocolate amargo. Conheça a história da vinícola aqui.

Vinho Tinto Leyda Pinot Noir Reserva

Vinho Tinto Leyda Pinot Noir Reserva

Pontuação em vinhos não é tudo!

Por mais que ler avaliações escritas por críticos e sommeliers renomados seja de grande aprendizado para quem está entrando no mundo do vinho, nada é tão importante quanto a experimentação para saber do que você gosta ou não.

tabela-de-pontos

 

Por Khátia Martins e Vivi Colello.